Ansiedade e compulsão alimentar na quarentena

 04/06/2021

Ansiedade e compulsão alimentar na quarentena



Ansiedade e quarentena viraram quase sinônimos nos últimos tempos. Por ser um momento bastante atípico e interpretado pela nossa mente como uma ameaça à nossa sobrevivência, muitos de nós acabam se encontrando constantemente em um estado ansioso.

O fato de ter de ficar em casa pode agravar a situação. Além da própria restrição de circulação, o fácil acesso a alimentos, principalmente os industrializados, ricos em gordura e açúcar, que promovem uma sensação de prazer imediato e alívio, pode acabar desencadeando processos de compulsão alimentar.

Somando-se esses fatores, temos uma situação que muitas pessoas podem estar passando nessa quarentena: sentem-se ansiosas e, acabam descontando toda essa ansiedade na comida.

O que é a compulsão alimentar?


A compulsão alimentar é quando a pessoa sente a necessidade ou vontade de comer mais e mais, mesmo já estando satisfeita e completamente sem fome. Muitas vezes, as pessoas acometidas dessa compulsão, comem até passar mal. Um dos principais pontos da compulsão alimentar é a perda de controle sobre a sua relação com a comida, gerando insatisfação e estresse.

A compulsão alimentar pode ser desencadeada por diversos fatores, desde predisposição genética a situações específicas que geram medo, estresse ou ansiedade.

A ansiedade, por si só, está bastante relacionada com este transtorno, pois ela exige da nossa mente uma ação para o alívio imediato e, muitas pessoas, acabam encontrando esse alívio na comida.


Ansiedade, medo e estresse: o prato feito para a compulsão alimentar

A pandemia provoca medo na gente: sentimos que nossas vidas estão ameaçadas por um inimigo invisível e que nossa liberdade está comprometida.

Quando amedrontados, sentimos ansiedade – uma reação natural e milenar do corpo para a nossa defesa. No entanto, atualmente não precisamos caçar, muito pelo contrário, temos uma série de comidas gordurosas e açucaradas à disposição. Justamente essas comidas proporcionam um prazer imediato para o cérebro, trazendo uma sensação de alívio que dura apenas alguns minutos.

Desse modo, queremos cada vez mais tentar suprir aquela demanda da nossa mente por prazer, por alívio momentâneo, fazendo com que recorramos mais e mais à comida. Isso, no entanto, gera frustração, pois a pessoa sente que está perdendo o controle sobre si mesma e sente-se sempre cheia demais, o que causa ainda mais frustração e estresse, levando a comer mais. Este é o ciclo sem fim da compulsão alimentar, que muitas vezes se assemelha a outros vícios adquiridos na tentativa de fuga da realidade.

Controlando a ansiedade para combater a compulsão alimentar

Durante a pandemia, é normal que as pessoas se sintam ansiosas e que algumas delas encontrem na comida um placebo para o alívio dessa ansiedade. Portanto, encontrar maneiras de controlar a ansiedade pode ser fundamental para conseguir conter a compulsão alimentar.

Diferencie realidade de fantasia

A ansiedade pode ser interpretada, de forma bastante simplificada para exemplificação, como um excesso de futuro. Isso faz com que nos preocupemos com o que está por vir, com ameaças muitas vezes não consolidadas, que são alimentadas por fantasias.

No caso do coronavírus, por mais que ele realmente seja uma ameaça, é importante tomar atitudes conscientes a fim de evitar que sua cabeça se perca pensando em tudo de errado que pode acontecer. Isso gera ansiedade, que gera medo e é ruim para sua saúde mental e física.

Pense na sua rotina

O importante é pensar na sua rotina para focar nas coisas em que você tem controle. Por isso, estabelecer hora para dormir, acordar, fazer exercícios e se alimentar é essencial. Inclusive, a atividade física é um dos meios que ajuda a controlar a ansiedade. O sono também tem um papel importante, pois ele atua diretamente no nosso humor, aproveite o momento para incorporar a higiene do sono.

Puxe a sua mente para o agora

Por mais que essa dica pareça ser difícil e genérica, a prática dela vai ficando simplificada à medida que você toma consciência dos seus atos. A grande queixa das pessoas ansiosas é o esquecimento. Isso acontece, pois a cabeça está sempre lá na frente, faltando consciência para o presente.

Um bom exercício para se praticar nesse sentido, é o mindfulness, que é justamente testar a sua presença para a atividade que você estiver realizando naquele momento. Para isso, você precisa identificar quais são as suas fugas (comida, celular, redes sociais, sites de compra, por exemplo) e retomar o foco quando a tentativa de fuga do cérebro aparecer.

------------------------------------------------------------
Hospital Psiquiátrico Porto Seguro
Agende uma consulta: 41 3019-1234 ou clique aqui



  Voltar