10 de Setembro - Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio

 10/09/2021

10 de Setembro - Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio


Segundo a Organização Mundial da Saúde, em média 800 mil pessoas morrem todos os anos por cometerem suicídio. O que corresponde a aproximadamente uma morte a cada 40 segundos. Esse é um assunto bem delicado, complexo e que as pessoas colocam muitas barreiras. Mas também é um tema que não pode ser deixado de lado pela sociedade.

A cada suicídio, pelo menos seis pessoas são impactadas diretamente (somando amigos, família e colegas de trabalho). As consequências dessa ação são alarmantes: no ano de 2015, o suicídio foi considerado a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo. Só no Brasil, cerca de 32 pessoas cometem suicídio todos os dias.

Fatores de risco

Com relação ao ato de tirar a própria vida, um dos maiores desafios para os profissionais da área da saúde e também para a sociedade, é identificar as pessoas que estão em risco ou são vulneráveis ao ato. Por isso, fizemos essa lista com alguns dos principais fatores de risco para a ideação ou para o ato suicida, fique atento!

  1. Doenças mentais
    De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), de todos os casos de suicídio, 50% das pessoas tinham alguma doença mental identificada, não tratada ou não tratada de maneira adequada. E os pacientes com mais de um transtorno identificado, têm os riscos aumentados.

    São fatores de risco:
    - Depressão;
    - Esquizofrenia;
    - Transtorno bipolar;
    - Transtorno de personalidade;
    - Transtornos mentais relacionados ao uso de álcool e outras substâncias.

  2. Aspectos psicológicos
    O risco é extremamente alto quando os fatores listados logo abaixo estiverem ligados ao consumo de substâncias químicas. Além disso, pacientes que já tenham tentado cometer suicídio têm 6 vezes mais chances de atentar novamente contra a própria vida.

    São fatores de risco:
    Baixa resiliência;
    Conflitos de identidade sexual;
    Desesperança, desespero e desamparo;
    História de abuso físico ou sexual na infância;
    Perdas recentes;
    Personalidade impulsiva, agressiva ou humor instável;

  3. Aspectos sociais
    As mortes por suicídio estao presentes 3 vezes mais nos homens do que as mulheres. A explicação se dá pelo fato de que os homens são mais reservados para falar sobre problemas pessoais e consequentemente, para buscarem ajuda.

    Já as mulheres, dispõem com mais facilidade de rede de contatos e grupos de apoio que as auxiliam nas questões emocionais e psicológicas, o que - tecnicamente - ameniza os riscos.

    Há também um índice elevado entre idosos. Para esse grupo, os principais motivos são solidão, perda de cônjuges, doenças degenerativas dolorosas e sensação de dar trabalho para a família.

    Outros aspectos:
    - Desempregados ou aposentados;
    - Gênero masculino;
    - Idade entre 15 e 30 anos e acima de 65 anos;
    - Isolamento social;
    - Moradores de área urbana;
    - Populações especiais: indígenas, adolescentes e moradores de rua;
    - Sem filhos;
    - Solteiros, separados ou viúvos.

  4. Condições limitantes de saúde
    As condições limitantes de saúde, são fatores de risco principalmente, nos primeiros meses de diagnóstico e nos casos onde o paciente não responde bem ao tratamento:

    São essas:
    - Acidente Vascular Cerebral (AVC).
    - AIDS;
    - Doenças orgânicas incapacitantes;
    - Doenças neurológicas (epilepsia, Parkinson, Huntington);
    - Dor crônica;
    - Esclerose múltipla;
    - Trauma medular;
    - Tumores malignos;

Fatores de proteção

Agora que você já sabe quais os fatores de risco que colaboram para que uma pessoa venha a cometer o ato de tirar a própria vida. Também vamos te deixar ciente dos fatores de proteção que fazem uma pessoa repensar se aquilo de fato é a única saída.

Fatores que cooperam para evitar ou afastar o atentado contra a própria vida:
- Autoestima elevada;
- Ausência de doença mental;
- Bom suporte familiar;
- Capacidade de solucionar problemas;
- Crenças religiosas, culturais ou étnicas;
- Estar empregado;
- Laços sociais estabelecidos;
- Senso de responsabilidade com a família;
- Ter criança em casa;
- Vida social e lazer.

Se você identificou-se ou conhece alguém que se encaixa em algum dos fatores de risco listados acima, procure ajuda de um profissional especializado imediatamente.

Sua atitude pode preservar uma vida.

------------------------------------------------------------
Hospital Psiquiátrico Porto Seguro
Agende uma consulta:
41 3019-1234 ou clique aqui


TAGS


  Voltar